Projetos Sociais

   BiblioCasa




   










      Este é o nosso mais novo projeto de promoção de leitura.
Estamos buscando pessoas que morem em comunidades da zona norte de São Paulo e queiram ser voluntárias no projeto BiblioCasa.
Queremos criar uma rede de mediadores de leitura que possam disponibilizar algumas horas de seu tempo na semana para ler e contar histórias para crianças e jovens de sua vizinhança, mantendo uma pequena biblioteca em casa.
O que oferecemos: 
- Acervo de livros infantis e juvenis de boa qualidade literária*
- Curso de contação de histórias (gratuito)
- Acompanhamento e orientação do trabalho
O que buscamos:
- Pessoas apaixonadas por livros e histórias, que queiram disponibilizar, em um dia fixo, um período mínimo de duas a três horas por semana, para abrir sua casa aos vizinhos e transformá-la numa pequena biblioteca em casa, a BiblioCasa.

Se você tem interesse, ou conhece alguém que gostaria de participar deste projeto, entre em contato através de nosso e.mail: historiasemmovimento1@gmail.com
Vamos juntos ajudar a fazer deste, um país de mais leitores!

* os livros serão emprestados ao participante, renovados periodicamente, enquanto este estiver fazendo parte do projeto.

janeiro/2019




Em abril de 2013, iniciamos o Projeto Social
"Histórias em Movimento - Futuro Melhor".
O nome Futuro Melhor, é como os moradores chamam esta ocupação de mais de dezessete anos no Jardim Peri Alto, zona norte de São Paulo, e coube tão bem ao propósito de nosso trabalho que parece mesmo criado por nós.
Escolhemos esta comunidade para realizar um projeto que leva Contação de Histórias, Brincadeiras Populares e Livros, para as crianças que ali moram, após detectarmos a ausência de equipamentos públicos de lazer e cultura no local. A "praça" era na verdade um chão batido, sem grama, sem sombra de árvores, com brinquedos quebrados e bem ali ao lado, é o local onde os moradores despejam o lixo doméstico.
Mas apesar de toda esta adversidade, foi este local que nos atraiu.
Queríamos contar histórias para aqueles que não frequentam os tradicionais locais onde se desenvolve este tipo de atividade na cidade, porque, antes de tudo, acreditamos na força destes elementos, histórias, brincadeiras e literatura, como criadores de oportunidades para as pessoas.
Com encontros semanais, criamos um público fiel. No segundo ano deste maravilhoso trabalho, criamos uma biblioteca circulante, que emprestava livros às crianças. Além disso, elas possuem hoje um repertório de brincadeiras populares de dar inveja a muita criança por aí. Fazendo mediação de leitura, apresentamos a elas muitos autores brasileiros e tivemos até um encontro com um ilustrador (Luciano Tasso), que foi lá, desenhar com eles!
Este projeto prosseguiu até maio de 2015, quando concluímos que já havíamos plantado as sementes necessárias àquela comunidade.
Conseguimos a reforma da praça, que hoje é a única área de lazer que possuem e está sendo muito utilizada por todos.
A comunidade recebeu ali, bem pertinho, uma unidade das Fábricas de Cultura!
Assim, encaminhamos "nossos meninos e meninas" para a biblioteca da Fábrica e mantendo um vínculo de amizade, prosseguiremos visitando-os algumas vezes por ano. A saudade é grande e quando nos encontramos é sempre uma alegria. 

E o que a gente sempre diz é: somos só duas pessoas, mas estamos conseguindo fazer algo que pode abrir oportunidades na vida de muitas crianças.
Como na história do passarinho que estava carregando água com o bico para apagar um incêndio, e os outros animais diziam que ele nunca ia conseguir, ao que ele responde:
"- Se vou apagar o fogo não sei, mas estou fazendo a minha parte."


Fotos de um dos encontros, com praça nova!













                          


                           Fotos dos Primeiros Encontros!                                                





                                           
                                                  Fotos dos encontros ao longo dos dois anos!

























E este (abaixo) é o Lar Vicentino, em Ermelino Matarazzo, zona leste. Local onde começamos nosso trabalho como Contadores de Histórias, levando nossos filhos (veja o menino de chapéu Panamá) e onde ficamos por dois anos. Já acompanhamos a "viagem fora do combinado" de alguns queridos amigos, mas acreditamos que as histórias fizeram dos dias deles, momentos mais alegres.

Comentários

Postagens mais visitadas